capa Novembro azul laboratório dom Bosco

Saiba mais sobre a doença que acomete principalmente os homens mais velhos.

O câncer de próstata é o segundo câncer mais comum entre homens. Só neste ano de 2020, a estimativa do número de casos passou de 60.000, e, de acordo com estatísticas americanas, um em cada seis homens desenvolverá essa doença até o fim da vida. Tendo em vista que é um assunto tão importante, iremos explicar melhor o que é o câncer de próstata, como o prevenir e quais os melhores exames para tratá-lo.

 

O câncer se instala numa área qualquer da glândula, que é responsável pela produção dos nutrientes e fluidos que constituem o esperma, e, à medida que cresce, vai ocupando gradativamente os lobos direito e esquerdo da próstata. Nas fases mais avançadas, invade por continuidade a cápsula que reveste o órgão, para depois chegar aos tecidos ao seu redor, incluindo as vesículas seminais.

 

Em sua fase inicial, o câncer da próstata tem uma evolução silenciosa. Por isso, muitos homens não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata, também chamado de HPB. 

Quando os sintomas aparecem – como dificuldade de urinar, dor ao ejacular, dificuldade na ereção, e até mesmo o sangramento pela uretra – é porque 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura.

 

Por isso o monitoramento da saúde é tão importante: segundo especialistas, 50 anos é a idade ideal para começar a fazer exames anuais. Também de acordo com eles, juntamente com o histórico familiar, o toque retal é a forma mais segura de detectar anormalidades. Rápido e indolor, o exame é parte fundamental para detectar o estágio da doença assim como para definir o tipo de tratamento.

 

Exames modernos ajudam na prevenção

 

A dosagem de PSA (antígeno prostático específico), a biópsia, o ultrassom transretal e a cintilografia óssea também são importantes exames para identificar o estágio do câncer. Sem tratamento adequado, o câncer de próstata pode se espalhar para outros órgãos do corpo (metástase). 

 

Outro excelente exame para avaliar o câncer de próstata, é o Teste de PHI (Índice de Saúde da Próstata), um teste inovador para o diagnóstico precoce do câncer de próstata, baseado na dosagem de três diferentes formas da molécula do PSA (PSA Total, PSA Livre, e p2PSA). O PHI foi instituído no Brasil com a intenção de evitar biópsias desnecessárias, muitas vezes realizadas pelos falsos-positivos apresentados pelo exame de PSA. Estudos revelam que, em média, 75% das biópsias de próstata retornam negativas. Esse teste oferece maior segurança pois evita que o paciente venha a utilizar uma opção mais invasiva e agressiva para a possível identificação de alguma doença.

 

Se cuidar e fazer exames desde cedo, assim como adotar hábitos saudáveis, evitando produtos como tabaco e álcool, aumentam as chances de cura do paciente em caso de confirmação do quadro.