Alerta dengue áreas de risco laboratório dom bosco

Além de 9 regiões administrativas em estado de alerta, foi constatado aumento de 600% nos casos de dengue em 2019.

Uma velha ameaça voltou a assombrar os brasilienses em 2019, dessa vez com força total. Segundo levantamento da Secretaria de Saúde, até 16 de março, foram confirmados 3.754 casos de dengue, enquanto que nos 12 meses de 2018 foram confirmados 2.463 casos. Outro número também preocupa, apenas neste ano de 2019, foram seis mortes pelo vírus da dengue contra uma no ano passado.

 

O médico sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Brasília, Cláudio Maierovitch, observa que, além das condições climáticas terem favorecido esse aumento, o esforço de conscientização tornou-se “menos intenso” após as grandes epidemias de 2015 e 2016.

 

Áreas de alerta

 

Em uma pesquisa do governo do Distrito Federal do mês de fevereiro de 2019, foram apontadas 9 regiões administrativas que estariam em situação de alerta por possuírem focos do mosquito Aedes aegypti acima do nível satisfatório. São elas: Gama, Paranoá, Planaltina, SCIA, São Sebastião, Jardim botânico, Park Way, Itapoã Lago Norte. O cuidado, principalmente nessas áreas, deverá ser redobrado.

 

Prevenção

 

Se por acaso você mora em alguma das regiões citadas acima, não há por que ficar preocupado, desde que se atente às medidas preventivas. Além do bom e velho repelente de mosquitos, uma das medidas preventivas mais efetivas ainda é eliminar as condições de reprodução do Aedes aegypti, vetor do vírus da dengue. Atitudes simples, como retirar água de pneus, podem ter um grande efeito na luta contra a proliferação do mosquito e, consequentemente, do vírus. Veja outras formas de eliminar os focos de dengue:

 

  1. Tampe os tonéis e caixas d’água;
  2.  Mantenha as calhas sempre limpas;
  3.  Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
  4.  Mantenha lixeiras bem tampadas;
  5.  Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
  6.  Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
  7.  Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
  8.  Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.
  9. Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;
  10.  Limpe ralos e canaletas externas;
  11.  Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;
  12.  Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;
  13.  Verifique instalações de salão de festas, banheiros e copa.

 

Sintomas

 

O vírus da dengue possui quatro variações: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Todas causam os mesmos sintomas, sendo que a infecção tende a ser mais danosa ao corpo caso haja reincidência da doença.

É comum, também, que as pessoas não desenvolvam sintomas da doença, fazendo que elas combatam o vírus sem nem saber que estão infectadas. Para todas as outras pessoas, havendo qualquer um dos sintomas a seguir, procure rapidamente por um médico para um atendimento eficaz.

 

  1. Febre alta (39° a 40°C);
  2. Dores de cabeça;
  3. Cansaço;
  4. Dor muscular e nas articulações;
  5. Indisposição;
  6. Náuseas;
  7. Vômitos;
  8. Dentre outros.

 

Exames modernos

 

Para ter certeza de que se trata de uma infecção pelo vírus da dengue, é necessário realizar alguns exames, como o NS1 e o Dengue IgG/IgM. Com esses testes, você e seu médico terão em mãos uma vasta leitura da sua saúde. Além de saber se você está infectado, você conseguirá saber se já esteve infectado em algum momento passado, informação necessária visto que a infecção tende a piorar caso haja recorrência do quadro, o que demandará cuidados mais específicos.

 

O Dom Bosco Laboratório é um dos poucos laboratórios a possuir um pacote com os três exames a um preço acessível, aliando qualidade e rapidez na entrega. Caso você more nas áreas de alerta e passou a sentir algum dos sintomas, venha testar de forma completa a presença do vírus no seu corpo.