Capa intolerância X alergia a lactose

Apesar de serem frequentemente confundidos, há grandes diferenças entre intolerância e alergia a lactose.

Como acontece com o açúcar, a lactose ao ser ingerida pelo organismo é quebrada em dois açúcares menores (galactose e glicose) que são absorvidos e utilizadas como fonte de energia pelas células. Quem faz essa quebra é a lactase, sendo que a escassez dela é o grande motivo causador da intolerância. Sabendo disso, não se deve confundir intolerância com alergia, visto que os dois quadros possuem origens diferentes.

 

A intolerância

 

A intolerância à lactose, causada pela baixa produção da enzima que digere o açúcar do leite, permite que o composto se acumule no intestino e seja fermentado pelas bactérias que vivem ali trazendo incômodos gastrointestinais.

 

Os sintomas dependem de diversos fatores e podem ser mais ou menos intensos dependendo da quantidade de lactose ingerida, da idade do paciente e/ou expressão do gene responsável pela síntese de lactase.  Podem aparecer entre 30 minutos a 2 horas após a ingestão de laticínios e as manifestações mais comuns que surgem da intolerância são: inchaço abdominal, cólicas, gases, flatulência, diarreia, assaduras, náuseas, vômitos, cãibras e algumas vezes constipação intestinal.

 

A intolerância pode surgir de diferentes maneiras, sendo a mais comum quando ocorre redução natural da concentração de lactase com o avançar da idade. Como bebês se alimentam em maior parte por leite, fabricam largas doses dessa enzima. Porém, conforme a criança cresce e outros alimentos entram em sua dieta, sua produção da enzima diminui.

 

Em casos raros, a intolerância tem origem genética. Ainda temos como uma terceira causa a presença de micro-organismos ou a ocorrência de um processo inflamatório que prejudicam as células intestinais responsáveis por gerar a lactase.

 

A intolerância x alergia

 

Confunde-se intolerância a lactose com alergia, mas os dois problemas são distintos. Enquanto intolerância é marcado pela dificuldade em quebrar a lactase, a alergia, ou APLV, é uma resposta do sistema imunológico a proteínas do leite. Nesse caso as manifestações podem ocorrer em todo o corpo, como inchaço nos lábios, coceira, manchas na pele, tosse e falta de ar.

 

Cientificamente, a expressão “Alergia a lactose” é equivocada, visto que a lactose (um açúcar) não é a causadora da alergia, mas sim tais proteínas, dessa forma o termo correto seria “Alergia ao leite”. Diferentemente da intolerância, que pode se desenvolver com o tempo, o quadro alérgico se manifesta logo na infância, tendendo a desaparecer com o tempo em alguns casos.

 

Mas como descobrir a intolerância?

 

Apenas um especialista pode confirmar o diagnóstico correto. É verificado o histórico do paciente, o tempo que ele apresenta os sintomas e a intensidade de dores e náuseas. Normalmente a primeira indicação envolve retirar os lácteos da dieta durante algumas semanas. Após esse período, os laticínios são reintroduzidos aos poucos. Se os sintomas somem no período de restrição e voltam depois, é um forte indício de que a lactose está por trás do desconforto. O teste mais comum é feito com um exame de sangue, em que a primeira coleta é feita em jejum. Depois, a pessoa bebe uma dose concentrada de lactose, que pode gerar um grande desconforto, e volta a retirar outras amostras.

O teste molecular de intolerância à lactose do Laboratório Dom Bosco consegue examinar seu grau de intolerância pelo sangue ou até pela saliva. Dispensando a ingestão de qualquer gota de lactose. O exame vai analisar um polimorfismo (pequenas alterações na sequência do DNA) e assim identificar se existe alguma deficiência de Lactase. O exame é altamente sensível, específico, além de possuir várias vantagens:

 

  • Não é necessário jejum antes do teste;
  • Não é necessária a ingestão de lactose, que pode causar desconforto e sintomas da intolerância à lactose;
  • Pode ser realizado em raspado de mucosa oral, dispensando a necessidade de múltiplas coletas de sangue;
  • Dispensa a longa permanência no local de coleta e
  • Teste mais abrangente (maior número de polimorfismos analisados).

 


clique e consiga 20% de desconto

O exame é feito em todas as nossas unidades com marcação prévia. O prazo para entrega de resultados é de 7 dias sendo o valor muito próximo ao de um exame de sangue comum para intolerância a lactose.

 

Fontes: Saúde Abril; UOL Drauzio Varella; SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria); DLE (Diagnósticos Laboratoriais Especializados) e Hermes Pardini